Papel Principal

" Amar é ter um pássaro pousado no dedo.

Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento ele pode voar."

Rubem Alves

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

quarta-feira, 25 de abril de 2012

domingo, 22 de abril de 2012

"O Agripino" Apresentado pela escritora

A Escritora do livro digital, publicado pelo Ministério da Educação, "O Agripino", Maria de Jesus Sousa, mais conhecida por Juca, foi ao Auditório de Santiago da Barra apresentar o seu livro a todas as crianças dos jardins de Infância do Agrupamento do Atlântico.
A apresentação foi um sucesso e as crianças verbalizaram isso nas salas e nos registos que produziram.






BANDA DA SALA

Começamos por desenhar o que achávamos que era uma banda, assim como alguns  instrumentos que a compõem...
Também fomos ver à Internete em livros e revista...
 A Graça mostrou-nos os instrumentos que temos na escola, que já conheciamos porque os usamos com regularidade.
Tinhamos agendada uma saída a casa dos instrumentos musicais que não  realizamos por causa do tempo que se fez sentir durante esta semana.




Desenhamos os instrumentos que queremos construir para a nossa banda de turma. A Graça trouxe um livro que nos vai ajudar a construir, tem muitas ideias e materiais para utilizar nos instrumentos.
Também falamos sobre as nossas bandas preferidas...e ouvimos algumas das suas produções.
Comparamos os estilos de música e vimos as diferenças...



domingo, 15 de abril de 2012

Novo projecto - Vamos montar uma banda!!!

Pois é, com o trabalho realizado à volta da orquestra surgiu a motivação para formar uma banda na nossa sala.
Apareceram logo guitarras e lindas vozes para cantar, mas decidimos que vamos fazer, nós mesmos, os nossos instrumentos para a nossa banda.
Assim nasceu um novo projecto e já temos o apoio dos pais da Sara para nos ajudar.
Quando actuarmos ao vivo avisamos!



Danças Hungaras nº 5 e 6



Fizemos panquecas virtuais, ao som da Danças Hungaras nº5 de Brahms





Os estagiários de enfermagem apresentaram a rodas dos alimentos e nós tivemos a construir a roda e a descobrir em que fatia estavam os ingredientes que entram na cofecção das panquecas.

Depois decidimos fazer panquecas a sério...



Trabalhamos a matemática...




Registamos e identificamos a primeira letra de cada  ingrediente e descobrimos outras palavras começada pelo mesmo som...






Estavam uma delícia!!!



sábado, 14 de abril de 2012

Como é que os bebés vão para a barriga das mães?

Estavamos a preparar-nos para ouvir a história: " Matilde, vem aí um mano" Quando a Leonor levanta o dedo, para pedir a palavra.
- Diz Leonor
Sabes Graça, eu perguntei à minha mãe como é que o meu mano foi para a barriga dela e ela disse-me que foi uma sementinha do pai.
Eu pensei, se é uma sementinha então devia nascer uma flor ou uma planta! Não achas?”
A história veio mesmo no momento certo, os livros são sem dúvida um recurso maravilhoso.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Como é que o bebé foi para dentro da barriga da mãe?

Na partilha das experiências vivenciadas durante as interrupções da Páscoa, no momento da manhã ao redor da mesa grande uma criança dizia:
- Eu vou ter um mano ou uma mana, a minha mãe tem um bebé na barriga.
Intervenção do Afonso:  Como é que o bebé foi para dentro da barriga dela?
- Não sei, responde a primeira.
Retorquiu a segunda com um o seu jeito inocente: Já sei então ela comeu um bebe ao almoço e depois ele ficou na barriga dela!
Alexandre: Não é nada disso! Foi uma sementinha que foi para a barriga da mãe.
Leonor Morgado: Eu acho que vamos precisar outra vez do meu livro, se quiseres eu posso trazer amanha, mas eu acho que o pai também entra nisso!
Marta: Pois, é o pai que põe a semente.
Afonso: E como põe na barriga da mãe? Mete na boca.
Miguel: Ou vai pelas narinas?
Tomas: Entra pelo umbigo.
Afonso: eu acho que a mãe vai ao hospital e o médico abre a barriga e põe o bebé dentro.
Alexandre: Ainda bem que eu não sou mulher!
Sara: Não é nada assim, a mãe vai ao hospital para tirar o bebé não é para por na barriga. O bebé é uma sementinha que cresce na barriga da mãe.
Afonso: Então o médico mete a semente numa pica e dá a pica à mãe e o bebé começa a crescer.
Alexandre: Não é assim, o pai é que dá a semente, depois a semente cresce e depois o bebé sai pelo “pipi” ou então o médico corta a barriga e tira o bebé.
Educadora: Se calhar é melhor vermos o livro da Leonor e a Graça também vai trazer outro que se chama “ A Matilde vai ter um mano”, depois voltamos a conversar.