Papel Principal

" Amar é ter um pássaro pousado no dedo.

Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento ele pode voar."

Rubem Alves

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

sábado, 4 de dezembro de 2010

Educação para os valores - viver a solidariedade

Como tínhamos ficado na semana passada com as questões da diferença e em simultâneo com as cores achei que era apropriado, para o meu grupo, a exploração da história “ O Natal nas asas do Arco-íris”. Por um lado dávamos continuidade ao trabalho da semana anterior e por outro introduzíamos o Natal. De facto já se sentia o interesse das crianças, para a preparação do Natal.
Com a história as crianças vivenciaram dois contextos diferentes: Um de desânimo, frustração, aborrecimento, ocupação excessiva, antipatia, tristeza, desanimo, que se manifestava nas relações interpessoais dos personagens da história e que se reflectia no seu meio envolvente. Um outro contexto de cor, alegria, partilha, conversação, brincadeira, afectos, amor compreensão, entreajuda…
Tentei que eles descobrissem a razão pela qual as pessoas e a cidade tinham mudado tanto.
Dos pequenos associaram rapidamente a fada Ariela e aos flocos de neve colorida e mágica.
Tentei que os mais velhos reflectissem um pouco mais, no sentido de perceberem o significado das fadas na vida das pessoas da cidade. Neste sentido fui levantando algumas questões.
T.M.” A fada conseguiu descobrir o desejo do Jerónimo e das outras crianças da cidade”.
M.” elas viviam tristes porque tudo era triste, mas quando o Jerónimo começou a brincar com as nuvens, as coisa começaram a mudar, porque ele ficou mais divertido”.
Tentei perceber se estavam a associar a transformação dos comportamentos à mudança de atitude face à vida.
A V. confirmou a minha suspeita ao afirmar que “quando somos simpáticos uns com os outros, amigos, e brincamos bem, ficamos mais felizes”
Is.” Por isso é que as pessoas começaram a ficar felizes, porque conversavam, brincavam, davam abraços, riam-se e até a cidade cinzenta ficou às cores.
Perguntei se era possível acontecer aquela transformação se não houvesse a fada Ariela na história. É claro que todos os mais novos responderam rapidamente que não “ foi a fada que fez a magia”
Voltei à questão direccionada para os mais velhos.
T.M.” eu acho que sim, olha Graça também vivemos numa cidade as vezes as pessoas tão zangadas e carrancudas e outras vezes estão alegres e simpáticas, algumas ruas são cinzentas, mas outras tem casa tintadas.”
T. “às vezes também os nossos pais estão zangados e nos ficamos tristes”
I.” Se somos amigos ficamos contentes e felizes, mas se nos portamos mal ficamos aborrecidos e tristes e também os outros ficam tristes.”
Esta conversa levou-nos a perceber que por vezes o estar feliz, o estar triste pode depender de nós, assim como a alegria a felicidade dos outros também pode depender de nós.
Identificar alguns comportamentos que podem contribuir para tornar os outros felizes.
Ser amigo, brincar, conversar, ajudar, partilhar, dar abraços, dar beijinhos, dar prendas, dar roupa…
Esta conversa levou-nos à partilha de brinquedos e alimentos com aqueles que precisam deixando pessoas e meninos que estão tristes mais felizes.




Fizemos padrões com os materiais que produzimos para decorar a nossa sala:










As estagiárias do curso de educação Básica fizeram a sua 1ª intervenção:









Pintura se sopro





Ida à ACEP:










Sem comentários: