Papel Principal

" Amar é ter um pássaro pousado no dedo.

Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento ele pode voar."

Rubem Alves

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

sábado, 27 de novembro de 2010

Semana de 22 a 26 de Novembro

Iniciamos a semana com a partilha habitual. A Carla e a Sara também estavam presentes porque trocaram a quarta feira pela segunda, esta semana.
A Carla depois das rotinas e do planeamento apresentou um pictograma com uma linda canção das cores.Repetimos frase a frase, ora com voz grossa, ora com voz fina, muito alto, baixinho, com um tom zangado, com um tom alegre, com esta brincadeira aprendemos rapidamente a letra da música. Colocamos o instrumental e parecíamos autênticos papagaios.


Posteriormente dividimos o grupo, as crianças mais novas ficaram uma actividade lúdica de descoberta e associação de cores e as mais velhas foram para os trabalhos que tinham planeado.
A Carla tinha um estojo mágico com lápis de cor e as crianças tentavam adivinhar a cor do lápis magico e encontrar um cartão com a mesma cor, colocando-o no quadro.


















No fim da actividade trocamos, só que desta vez o desafio era outro:
Numa tira de papel de filtro cada criança fez um circulo preenchido com uma cor à sua escolha.

De seguida colocamos a tira na vertical dentro de um copo com um pouco de alcool. Fomos ouvindo o que é que as crianças achavam que ia acontecer:
" Vai mudar de cor"
"O Alcool vai apagar a tinta"








Verificamos o que aconteceu, mas o vermelho, o azul e o amarelo continuavam só com aquela cor. Então a Carla explicou que isso acontecia porque eram cores primárias, exploramos um pouco este conceito, mas dado o avançado da hora só tivemos tempo para registar o que vimos no quadro de dupla entrada







Na terça feira, dia normalmente destinado às experiências regressamos ás cores para experimentar criar cores a partir das primárias.
Seguimos o protocolo e fomos ao armário das ciências buscar o material necessário. As tintas fomos busca-las à área da plástica.
Começamos por colocar 50ml de água no goblé, com a ajuda de uma colher colocamos duas cores primarias, à escolha da criança, antes de dissolver a tinta na águas fizemos previsões do que achavamos que ia acontecer e porquê. Por fim verificavamos o resultado e tiravamos conclusões.















No fim misturamos as cores todas e obtivemos uma cor preta.





Uma criança pergunta: " então o preto é as cores todas misturadas!"



Por razões pedagógicas quisemos integrar as questões da diferença e a educação para a diversidade neste contexto. Já tinhamos observado ao longo do projecto " Porque caem as folhas" como a natureza é versátil e diferente, com os animais vivemos a mesma realidade, a história do "Sapo e do estranho", ajudou-nos a dar o salto para os humanos e as suas relações com os outros.
Vejam que coisas lindas disseram estas crianças:

Concepções das crianças sobre a diferença:
Francisco “ As pessoas são diferentes porque não são iguais”
Sara: “ Porque elas têm o corpo diferente”
Isa: “ Algumas não têm a mesma cor da pele”
Tomás: “Olha, não são iguais uns aos outros, porque uns são pequenos, outros são grandes, uns são rapazes e outras meninas.”
Joana: “ Eu sou maior que a Isa”
Inês: “ Somos diferentes no tamanho e na roupa que usamos”
Valentina: “Os Olhos também são diferentes”
Mariana: “Na idade”
Leonor Morgado: “ Na voz”
Brenda : “Nos cabelos”
Porque é que somos diferentes?
Tomás: “ Ó Graça se fossemos todos iguais não havia rapazes nem meninas, ou eram todos rapazes ou todas meninas”
Mariana: “ olhávamos sempre para a mesma cara”
Isa: “ A mãe nem nos conhecia”
Alexandre: “ e nós não conhecíamos a mãe porque eram todas iguais”
Sara:” Nem sabíamos quem era a professora”
Então ser diferente é bom ou é mau?
Tomás: “ É bom, não somos iguais”
Mariana: “ Quando as mães chegam sabem quem são os filhos”
Isa “ se fossemos iguais não aprendíamos coisas novas, pensávamos todos igual!”
Gabriel: É bom ser diferente as pessoas não são iguais e não podem ser”
Alexandre: nós não temos roupas iguais e pensamos pela nossa cabeça.”
Margarida: “A minha cabeça as vezes pensa em bonecas, mas alguns meninos pensam em carros.”
Leonor Morgado: “ Também somos diferentes porque sonhamos coisas diferentes, eu no outro dia sonhei com fantasmas…”

Aproveitamos os animais para fazer uma resolução de problemas:
Na quinta do Tio Manel havia: 2 patos, 2 galinhas,2 cães, 2 ovelhas e 2 vacas.
Quantos animais tinha o tio Manel na quinta?

Esta soma sucessiva de nº iguais está na base da multiplicação, falei dela de forma lúdica como lúdica era a situação.
Esta situação foi integrada numa história, onde tivemos oportunidade de verbalizar as diferenças dos animais quer ao nível do revestimento, como da locomoção e alimentação.
O registo ficou a cargo das crianças mais velhas.







































Banho da boneca:



































E agora para terminar a semana partilho algo que me fascinou.
De facto as crianças são fantásticas e quando lhes damos oportunidades para pensarem sobre as coisas surgem ideias maravilhosas, senão vejamos.
Antes de introduzir o poema de Vinícius de Morais “ A Porta”, sugeri que associassem acções ao movimento abrir e fechar, resposta rapida das crianças:
Porta, janela, mãos, gaveta, caixa, livros, garrafas, boca, olhos, fechos, botões, frigoríficos, armários, sacos, mochilas.
Não é fantástico?
Na hora de lavar as mãos propôs outro desafio, a palavra era piano:
Musica, teclas, pauta, e uma criança disse lengalenga.
Perguntei porquê?
“ Olha lá em cima do piano está um copo com veneno quem bebeu morreu, viste que tem piano”
Estas crianças enchem-nos a alma, maravilhoso.


Actividades na área da expressão plástica:









Sem comentários: