Papel Principal

" Amar é ter um pássaro pousado no dedo.

Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento ele pode voar."

Rubem Alves

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

domingo, 25 de abril de 2010

Semana de 19 a 23 de Abril

Na sexta-feira ouvimos as concepções das crianças sobre:
"Ser Livre"
Depois a Graça contou a história " A Liverdade o que é?"
De José Jorge Letria"







Actividades realizadas por iniciativa das crianças na área da Expressão Plástica.
Pequenos grandes Artistas










Continuamos fascinados com os teatros, por isso estamos sempre a inventar histórias novas, para dramatizar.
Desta fez foi o homem Aranha que se meteu numa aventura para salvar um homem que estava a afogar-se...











A Maria após o almoço quis partilhar com a Educadora e os colegas, como resolveu o problema da distribuição do pão.
"Primeiro fui buscar 10 pães."
"Mas não chegaram."


Depois eu contei e faltavam mais 10 e fui buscar



Contei um, mais um, mais um...


Descobri que eram 20 pães.

Ilusão óptica, uma actividade interessante e do agrado das crianças do grupo





Na continuidade da questão da semana anterior:
Como é que se fazem os sonhos?
as Estagiárias apresentaram uma história:
" A 3 arcas misteriosas"
E não é que as três arcas apareceram na nossa sala!!!







Maria:“Na história os meninos não sabiam das chaves das arcas, mas depois apareceram como magia e isso é um sonho”
Juliana: “ Às vezes as coisas trocam-se e podemos sonhar acordados”
Rodrigo: “ também podemos sonhar que somos um herói dos filmes. Um dia eu sonhei que era um homem Aranha”
Marta: “ Eu adoro descobrir mensagem então o meu sonho é ser detective”
Sérgio: “ Nos sonhamos porque as histórias fazem sonhar. Nas arcas havia sonhos a que eu gostei mais foi da arca das estrelas”
Alexandra:” Esta história tem a ver com a pergunta do Sérgio sobre os sonhos. As arcas vieram parar a nossa sala e isso é magia e magia também é sonho.”
João: “ O que os meninos falaram na história era como um sonho”


Os colegas do 1º ano A colaboraram connosco na plantação da horta.
Projecto do Rio Lima:

domingo, 18 de abril de 2010

Semana de 12 a 16 de Abril

Após as interrupções da Páscoa iniciamos a semana com a partilha dos momentos mais significativos vivenciados durante o período das interrupções.
Entre muitas notícias, todas elas cheias de emoção e conteúdo surgiu a comunicação do Miguel que foi passar uns dias à Madeira com os seus pais e irmão.
Como sempre direccionamos o olhar para o mapa para identificar o local exacto da Ilha da Madeira. Mas um vez as crianças verbalizaram que a Madeira era uma ilha no meio do Mar e o “sitio onde choveu muito e algumas casas caíram com a água”
O Miguel comunicou-nos que já não se via água nas ruas, nem casas caídas porque estavam a arranjar tudo.
Depois informou-nos que viu um peixe atum que tinha mais de 1metro.
Para concretizar o tamanho do peixe as crianças sugeriram que mostra-se com a régua como era o peixe.
Como não temos metro no Jardim a Graça pegou em duas réguas de 50 centímetros e uniu-as para fazer um metro.
Depois com a ajuda dos colegas fixaram as duas réguas no quadro e, o Miguel desenhou o peixe.
A admiração foi geral: - “Assim tão grande?”


O Afonso cambão também trazia novidades!
Já consegue dar um laço nos cordões.
Pois é!


Estão mesmo a crescer e a ficarem meninos crescidos, mais uma prova disso foi a actividade de matemática a pares.
Todas as crianças cooperaram com os seus pares de forma ordenada e respeitadora.
Depois de manipularem os peixes e de encontrarem, com o (a) colega, as possíveis resoluções, representaram graficamente numa folha.




Para fazer o ponto da situação do projecto do Rio a Gabriela trouxe uma linda história com o título:” O Peixe Arco-íris”
A segui à exploração verbal da história direcciona a conversa para o nosso projecto. Conversamos e decidimos que ainda queríamos construir o livro com as palavras novas que aprendemos com este projecto e assim meteram mãos à obra.



Entretanto a Alexandra quis avançar com a questão que aguardava resposta no quadro das perguntas: “ Existem Sereias no mar?”
Depois de pesquisar na internet e livros decidiu ouvir a opinião dos colegas:
Rodrigo:” Alexandra as sereias são do mundo da fantasia”
João:” Elas só existem na nossa imaginação, não são mesmo de verdade.”
Sérgio: “Também podem estar nos filmes e nos livros, mas não são de verdade”
Marta: “É como a Ariel da pequena sereia”
Diana: ” Pois, não existem, é só a fazer de conta”
Alexandra: “ Mas podem existir na nossa imaginação ou então nos bonecos. Eu tenho uma polly que é a Ariel, mas já não é sereia.”
A Alexandra quis construir uma Sereia sentada numa rocha no mar. Depois de idealizar o projecto concretizou-o com total autonomia.

Entretanto o Sérgio também apareceu com uma questão: “ Como é que se fazem os sonhos?” e queria fazer um projecto para descobrir.
Começou por verbalizar o que sabia sobre os sonhos:
“Os sonhos aparecem quando estamos a dormir”
“As vezes, são bons, mas as vezes, são pesadelos”
“ Os pesadelos são assustadores e ficamos com medo”
“Mas eu não sei como é que eles vão para a nossa cabeça?”
Fomos ouvir opiniões de alguns colegas (da sala e das outras sala) e de adultos.
Sala1:
Beatriz:” Os sonhos vão para a nossa cabeça quando vemos filme”
Mariana: “ Quando ouvimos uma história ela pode ir para os nossos sonhos”
Valentina: “ Também vão quando vemos um livro”
Sofia:” Quando pensamos numa coisa que gostamos muito vai para a nossa cabeça e quando estamos a dormir sonhamos.”
Sala 2
Tómas: “ Primeiro temos que pensar e depois sonhamos”
Sala 4 (3 anos)
Nuno: ” Pensamos e depois sonhamos”
António” Nascemos, engordamos e a seguir boa noite”
Sala 3
Sérgio: “ Projectamos nos olhos os filmes que vemos e depois vai para a nossa cabeça e à noite sonhamos com aquilo que vimos”
Rodrigo:” Por exemplo eu estou a ver um filme e vimos o filme muito bem. Depois à noite sonhamos e depois acordamos a meio da noite com medo porque pensamos que é verdade. De manhã contamos aos nossos pais que sonhamos com essas coisas."
Vamos continuar à procura de resposta para esta questão.
A Marta trouxe para a nossa sala tampinhas de garrafas e antes de as colocarmos no depósito das tampinhas resolvemos fazer uma actividade a pares. Aqui fica o registo.

Na quinta-feira a Escritora Inês Madeira foi a nossa sala entregar os livros de sua autoria “Vi-Ana”
Bem foi uma emoção todos queriam contar as descobertas que tinham feito à volta do livro:
“ A lenda do rio lethes”
“O povoado de Santa Luzia Citânia”
As Festas da Agonia”
“O Rio”
As gaivotas Afonso e Lara…”
A escritora quase não conseguiu falar com tanta participação.
No fim autografou todos os livros. Adoramos a sua visita.



Na sexta-feira Dia da Voz em grande grupo falamos da importância da nossa voz:
Rodrigo: “ É Importante para podermos cumprimentar, comunicar e pedir desculpa.”
Catarina:”É Importante para falar”
Alexandra: Para podermos contar e escolher o que queremos fazer.”
Afonso Cambão: Para falar, por isso, não podemos estragar a voz”
Diana:” Para falar baixinho”
Lucas:” Para dizer coisas importantes”
Beatriz: “Para falar com os colegas”
João:” Para falar com as pessoas e dizer o que aconteceu”
Inês:” Para quando estamos doentes falar com o médico”
Marisa:”Para podermos contar”
Alexandre:”Para falar baixinho”
Afonso Garcia:” Senão não podíamos falar”
Sérgio:”Para dizer frases com o coração”
Matilde: “A voz é muito importante temos que ter cuidado para não ficarmos sem voz”
Miguel: ” Para falar com os colegas”
Durante a tarde realizamos a hora do conto com o 1º ano A e a Graça contou a história da
“ Gabriela Tagarela”
Descobrimos que na nossa sala e na sala do 1º ano há muitas Gabrielas tagarelas.
Pois é, temos que ter mais cuidado com as nossas cordas vocais.