Papel Principal

" Amar é ter um pássaro pousado no dedo.

Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento ele pode voar."

Rubem Alves

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

quarta-feira, 24 de março de 2010

semama de 22 a 26 de Março

Entusiasmados com o projecto surgiu a ideia da Alexandra de fazermos barcos de papel.
Fizemos a dobragem em grande grupo. A Graça explicava e nós executávamos no lugar.
No fim canta a canção do” Barquinho ligeiro andava ligeirinho andava no mar”
Durante a tarde na actividade de expressão dramática montamos o pára-quedas, para fazer de mar, e colocamos em cima os nossos barquinhos.
Ao som da música exploramos as ondas calmas e serenas e as ondas agitadas e revoltas.
No fim e em silêncio cada criança recolhia o seu barquinho











Este projecto tem ajudado as crianças a conhecerem melhor o Rio Lima, a descobrirem coisas novas e muito interessantes sobre a sua fauna e flora.
Como não podia deixar de ser, dado à sua proximidade, também entramos no Mar.
O Pai da Verónica veio a nossa sala contar e mostrar-nos coisas interessantes sobre a sua profissão de pescador.



A Escritora Inês Madeira foi à Biblioteca Municipal para falar do seu Livro “Vi-Ana” aos meninos dos Jardins de Infância do Agrupamento do Atlântico.

segunda-feira, 15 de março de 2010

semana de 15 a 19 de Março

Preparação e festa do dia do pai no Jardim de Infância.


O nosso colega partilhou connosco o que descobriu na peixaria com a mãe.
A sua partilha veio enriquecer o nosso projecto do rio.
Descobrimos com a ajuda da D. Lídia, funcionária no Jardim, que o balão que os peixes têm dentro do seu corpo se chama: "Bexiga-natatória" e que é este órgão que lhes permite vir à superfície e ao fundo com grande agilidade.
Também fizemos uma experiência para verificarmos.
Material:
Uma tina com água, dois balões e dois berlindes.
Procedimentos:
Introduzimos os berlindes dentro dos balões. Num balão sopramos um pouco de ar e no outro demos um nó sem qualquer ar.
Introduzimos os balões na tina com água.
Observamos: o balão com ar ficou à superfície, o balão sem ar afundou.
Concluímos: O ar "puxou o balão para cima"
Como a câmara fotográfica, não tinha pilhas, não foi possível fotografar esta experiência.







Preparação dos acessórios para a dança que vamos apresentar à escritora Inês Madeira, que nos vem falar sobre o seu livro:
“Vi-Ana”







Estão a chegar ao Jardim os paninhos personalizados com 1€ para o projecto " Um Dia Pela Vida" da Liga Portuguesa Contra o Cancro.
Vale a pena contribuir.
Participe nas iniciativas já agendadas.
Vamos mobilizar-nos para minimizar o sofrimento de tantos e ajudar a encontrar a cura para este flagelo.


domingo, 14 de março de 2010

Semana de 8 a 12 de Março

Começamos por auscultar as concepções das criança sobre o “ Dia da Mulher”:
Marta –“ Porque há muito tempo as mulheres trabalhavam muito e ganhavam pouco dinheiro, um dia entraram na fábrica e disseram que os homens tinham que trabalhar mais. Certo dia houve um incêndio e morreram algumas mulheres a partir daí começou a comemorar-se o dia da mulher.”
Matilde – “Porque as mulheres têm muito estilo.”
Alexandra – “As mulheres têm muito carinho com os filhos por isso, comemora-se o dia da mulher. As mulheres apagam o fogo pelos filhos, são muito inteligentes.”
Marisa – “No dia da mulher os pais podem namorar à vontade. Nós podemos estar sozinhos na cozinha ou na sala.”
Sérgio – “Porque temos de dar presentes.”
João – “O meu pai contou-me mas só me lembro que os homens ganhavam mais dinheiro do que as mulheres.”
Maria – “é o dia de namorar.”
Diana – “Porque quando os homens querem namorar com as mulheres vão namorar.”
Afonso Cambão – “Para dar presentes às mulheres.”
Joana – “Para verem a flor do Miguel.”
Depois da discussão passamos uns slides de alguns artistas que pintaram a Mulher
As crianças imitaram os artistas e recrearam a mulher servindo-se ou não da inspiração dos Pintores.
Como o Pintor que mais fascinou as crianças do grupo foi Picasso o Sérgio trouxe o livro para conhecermos melhor a sua historia.




A Gabriela e a Rafaela contaram-nos uma linda história do Rio Lima da nascente à foz.
Ficamos a saber que o nosso rio nasceu em Espanha e entrou em Portugal numa terra chamada Lindoso, Ponte da Barca, ponte de Lima e chegou a Viana do Castelo onde se encontrou com o mar.
Exploramos no mapa onde fica a Espanha e verificamos o trajecto seguido pelo rio.
No nosso projecto do rio, para alem de continuarmos a registar os dados que recolhemos iniciamos a construção de um aquário artificial com peixes que vivem no rio. Usamos vários materiais e está a ficar muito bonito.
Estamos a construir peixes gigantes para a dança que vamos apresentar no dia 23 a Escritora Inês Madeira, que nos vem falar sobre Viana.

Fomos à doca ver algumas espécies de peixes









A Gabriela trouxe-nos uma resolução de problemas que nós achamos imensa graça e que se relacionava com : “ Porque é que a água transborda?”
Primeiro dissemos aquilo que achávamos que ia acontecer.
Depois fizemos a experiência e tiramos conclusões.
O que vai acontecer ao colocar a pedra dentro da bacia com água?
Henrique –” Ao colocar a pedra a água sai para fora.”
Alexandra – “Vai flutuar”.
Sérgio – “A pedra vai ao fundo”.
João e Marisa – “Saí água para fora.”
Marta – “Vai sair muita água para fora.”
Miguel – “A pedra parece que vai tomar banho, vai acontecer alguma coisa. A pedra vai ficar em baixo”.
O que Aconteceu?
Matilde – “Quando a Juliana colocou a pedra saiu água para fora da bacia. Saiu porque puseram muitos copos de água na bacia e ficou cheia.”
João – “Quando a Juliana colocou a pedra saiu água para fora porque a bacia estava cheia de água.”
A bacia tem a mesma quantidade de água desde o início da experiência?
Maria – “Tem menos porque a água saiu para fora.”
João - “Tem menos por causa das pedras, dos paus e dos pesos.”
Concluímos que a água saiu porque o objecto que introduzimos “foi ocupar o lugar da água, então como não havia mais espaço teve que transbordar.”
Fizemos uma brincadeira que partiu de uma crianças “ o Jogo dos peixes” Quantos peixes formam o Cardume? Cuidado que alguns estão escondidos.















Adoramos inventar histórias e construir fantoches para o teatro:

“ERA UMA VEZ UM MENINO QUE SE CHAMAVA JOÃO. UM DIA FOI FAZER UM PASSEIO À FLORESTA E ENCONTROU UM CAVALO, UMA VACA, UM COELHO E UM ESCARAVELHO.
NO MEIO DOS ANIMAIS ESTAVA UMA MENINA.
O MENINO PERGUNTOU:
OLÁ COMO TE CHAMAS?
CHAMO-ME MARTA E TU?
EU SOU O JOÃO O QUE ESTAS AQUI A FAZER?
MARTA: - ESTOU À PROCURA DE AMIGOS.
JOÃO EU POSSO SER TEU AMIGO.
OS DOIS FORAM BRINCAR PARA A CASA DO JOÃO. JOGARAM Á MACACA E LANCHARAM, DEPOIS O PAI DO JOÃO FOI LEVAR A MARTA A CASA.
VITORIA VITORIA ACABOU A HISTÓRIA.”








Nas restantes áreas da sala fizemos coisas interessantes que nos ajudam a crescer.
A nossa colega “costurou” uma bonita camisola”, praticamente sem apoio do adulto, para a sua boneca.
Andamos muito motivados nos desenhos a pares duas das nossas colegas andam a construir um livro.







Com a proximidade do dia do pai estamos a desenhar e pintar o nosso pai para preparar a festa do dia do pai na nossa escola.

Também verbalizamos a importância que os pais têm na nossa vida:
Diana: “O meu pai para mim é um amigo”
João: “O meu pai para mim é fofinho, adoro o meu pai”
Beatriz: “O meu pai para mim é giro e brinca comigo”
Lucas: “O meu pai para mim é importante, faz-me rir e brinca comigo”
Marisa: “O meu pai para mim é amoroso”
Henrique: “O meu pai para mim é o meu amigo adoro-o ele joga futebol comigo”
Joana “O meu pai para mim é giro ele leva-me à escola”
Afonso Cambão: “O meu pai para mim é querido, brinca comigo”
Catarina: “O meu pai para mim é lindo, brinca comigo”
Alexandra: “O meu pai para mim é um amor, às vezes ajuda-me a fazer bonecos e aviões”
Margarida: “O meu pai para mim é lindo, ajuda-me a fazer desenhos”
Rodrigo: “O meu pai para mim é o melhor amigo para jogar futebol”
Juliana: “O meu pai para mim é querido, ajuda-me no que eu não consigo”
Miguel: “O meu pai para mim é um grande amigo, ajuda-me na bicicleta”
Matilde: “O meu pai para mim é um brincalhão, porque faz-me rir”
Maria: “O meu pai para mim é querido, deixa-me jogar computador”
Marta: “O meu pai para mim é o meu coração porque é querido”