Papel Principal

" Amar é ter um pássaro pousado no dedo.

Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento ele pode voar."

Rubem Alves

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Semana de 22 a 26 de Fevereiro

Iniciamos a montagem da nossa maqueta do planeta com as produções que fomos fazendo.
Para o fazer tivemos que descobrir o habitat de cada animal e das plantas que construímos.







Esta semana demos continuidade ao nosso projecto. Fomos conhecer melhor os caracóis
Depois de observarmos os caracóis e de alguns meninos o colocarem na palma da mão com muito cuidado e respeito, porque “é um ser vivo” resolvemos registar tudo o que conseguimos ver nos caracóis:
“ Tem uma carapaça e corpo”
“ Tem corninhos e anda de rasto”
“Também tem cabeça como nós”
“Quando rastejava deitava uma baba pegajosa”
“Tem quatro cornos dois grandes e 2 pequenos”
Colocamos os caracóis no aquário e como já o vimos várias vezes na horta, resolvemos colocamos couves no aquário
No outro dia verificamos que as couves estavam todas “ ratadas” termo utilizado pelas crianças.
Concluímos então que os caracóis gostam de couve.
Decidimos colocar maça cortada as tiras.
No dia seguinte observamos que as maças tinham sido comidas, mais uma vez concluímos que os caracóis gostam de maça.
Preparávamo-nos para colocar fiambre, mas um colega chamou atenção para o facto de o caracol ser herbívoro e por isso não comer carne.
Decidimos então experimentar outra fruta a pêra.
Como já conhecíamos uma canção do caracol decidimos fazer expressão corporal mimando a música:
O caracol esta muito zangadito, por causa da chuva não pode sair!
Quer ir para o jardim, ver crescer as flores e ouvir os meninos a dizer assim:
- Caracolinho meu lindo caracol esta tão quentinho põem os pauzinhos ao sol.
Organizamos um grupo que estava interessado em descobrir mais coisas sobre o caracol e fomos para a Internet.
Verificamos que:
• A carapaça era designada por concha,
• O que nós chamávamos de corninhos tinha um nome diferente tentáculos,
• Nas extremidades dos tentáculos grandes estavam os olhos,
• Mesmo em baixo dos tentáculos pequenos estava a boca,
• Tinha um pé na parte inferior
• Um buraquinho junto a concha que se chama orifício respiratório
• No interior do corpo um tubo digestivo com estômago e ânus
• Pulmões
• Coração
• Fígado
• E também tinha um pénis e uma vagina por é um ser hermafrodita
Na quinta-feira dia da resolução de um problema a Graça trouxe um problema para resolvermos sobre os caracóis:
- Um caracol que passeava pelo jardim, encontrou várias coisas apetitosas para comer.
- Por dia só podia comer dois tipos de alimentos, que não podiam ser repetidos nos dias seguintes.
- No fim do 3º dia que alimentos é que o caracol comeu?
- Como estamos todos entusiasmados com a diversidade de animais que habitam o nosso planeta resolvemos apanhar uma aranha, que encontramos na sala e colocamo-la no copinho lupa de observação. Como já sabíamos que as aranhas gostam de moscas, porque descobrimos isso no projecto dos insectos resolvemos apanhar uma mosca para ela se alimentar.
-

Actividades programadas pelas crianças e realizadas nas áreas







quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Concepções das crianças sobre a aprendizagem

No âmbito de uma disciplina do Mestrado, eu e a Raquel, preparamos um trabalho para apresentar sobre a aprendizagem.
Nesta lógica pareceu-me oportuno ouvir as crianças do meu grupo. O resultado foi tão interessante que optei por partilha-lo convosco.
Como é que se aprende?
Beatriz: Com as professoras e os pais, porque eles ensinam-nos muitas coisas eles ensinam-nos a falar e a fazer coisas diferentes.
Marisa: Com os professores porque eles ensinam-nos a falar e a brincar. Eles falam comigo e eu penso e depois faço coisas e aprendo.
Matilde: as crianças aprendem com ajuda, mas para aprender têm que brincar e fazer coisas bonitas.
Maria: as pessoas aprendem com os avós, também com a mãe, porque quando estamos em casa a mãe trabalha connosco e ensina coisas. Também com as professoras porque nós andamos na escola e a professora ensina. Ela ensina quando fala e também quando os meninos fazem coisas. Os colegas também nos podem ensinar porque podem partilhar as coisas que descobriram com os amigos.
Sérgio: com as professoras e na escola senão não sabíamos nada. As professoras têm que fazer testes e trabalho para os meninos aprenderem.
Marta: com os amigos, porque eles são amigos e partilham as coisas.
Miguel: aprendemos na escola porque na escola estão a ensinar tudo. Fazem trabalhos e mostram aos colegas e assim eles aprendem.
João: aprende-se na escola porque a professora é que ensina coisas novas. Ela ensina a fazer coisas, a jogar a trabalhar nos projectos e assim os meninos aprendem.
Diana: aprendemos na escola porque fazemos muitas coisas e isso é aprender, em casa eu não posso fazer essas coisas.
Henrique: aprendemos coisas que não sabíamos, porque estamos na escola e temos muitos jogos, livros e colagem desenho e fantoches e projectos e depois fazemos essas coisas e aprendemos.
Margarida: aprendemos na escola e em casa.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Gosto de Mim

Gosto de Mim
Uma das actividades planeada pelo grupo para caracterizar o portfólio de cada criança foi a elaboração do auto-retrato a partir de uma fotografia e posteriormente a caracterização física psicológica e emocional feita por cada criança de forma individual.
Depois de auscultar e registar 21 relatos todos eles fascinante, mas muito consciente das suas áreas forte e mais frágeis, constatei que algumas crianças referiam comportamentos menos correctos como forma de:
“Fazer o outro rir”;
“Porto-me mal com os colegas da outra sala porque o meu amigo … me manda fazer”;
“As vezes não quero fazer, mas eles riem-se e eu faço para eles ficarem contentes”;
“As vezes não sei mandar no meu corpo e faço asneiras”
“Eu adorava portar-me bem. Mas não consigo e faço birras.”
Estes foram algumas das frases verbalizadas por algumas crianças do grupo no seu auto-retrato.
Achei fascinante a capacidade de interiorização destas crianças assim como a lucidez da discrição.
Como não podia deixar de ser era necessário intervir, ajudar as crianças a descobrirem o grande poder que têm ao seu alcance, a capacidade de gostarem de si, de pensarem pela sua cabeça, de agirem em conformidade com aquilo que querem e que acham correcto, sem ser “mandado” por ninguém.
Em grande grupo propôs um desafio:
Cada criança teria que dizer a razão por que gostava de si. A questão era:
Gosto de mim porque:
Rodrigo “ Porque sou brincalhão e gosto muito de brincar”
Marta “Porque o meu coração tem muita vida e sou amiga dos colegas”
Diana “Porque gosto do meu corpo”
João “Porque tenho uma vida feliz”
Beatriz “Porque gosto de pensar”
Lucas “ porque gosto de passear”
Marisa “ porque sonho com portar-me bem”
Henrique “ Porque eu gosto de mim, porque sou muito feliz”
Joana “ porque brinco”
Afonso Cambão “ porque sou bonito”
Alexandra “porque faço colagens bonitas”
Catarina” porque a mãe veste-me roupas bonitas”
Matilde “porque as vezes falo comigo”
Maria “ porque tenho roupas bonitas”
Afonso Garcia “ porque gosto de brincar
Margarida” porque sou feliz”
Alexandre “ porque sou bonito”
Inês: “porque sei portar-me bem”
Foi interessante partilhar em grande grupo. Posteriormente levei para a sala o livro: “Gosto de mim”
Procuramos paralelismos com as frases verbalizadas pelas das crianças, mas a frase que mais adeptos reuniu foi: “Gosto de mim quando penso pela minha cabeça. “
Com frequência ouvimos dizer: “Olha que eu penso pela minha cabeça, não é pela tua” ou Eu sei mandar no meu corpinho por isso gosto de mim”
Foi gratificante observar que uma actividade tão simples fez desencadear mudanças significativas e profundas no seio do grupo.


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Semana de 8 a 12 de Fevereiro

Iniciamos a semana com a partilha do livro que vai a casa.
Têm sido evidente os progressos feitos pelas crianças, no que diz respeito ao reconto da história, assim como a sua capacidade de sintese.




Decidimos construir um quadro de barras para registar as nossas fantasias de carnaval.
Assim ficamos a saber quantos meninos irão usar a mesma fantasia.
Quando acabamos o quadro a Graça perguntou aos meninos:
- O que é que podemos ver neste quadro?
Sérgio: " Que as princesas são mais."
Alexandra " As princesas são 7 e estão na última coluna."
Miguel: " Que o meu fato está na 5º coluna"
Margarida: " Que os palhaços são 3"
Rodrigo: " As tartarugas Níger são 2, como se chama aquela coluna?
Educadora: "10º coluna"
Juliana: "Só há uma bruxa, eu estou na coluna que só tem 1."

...



Trabalhamos no nosso projecto do planeta.
Estamos a descobrir que para além da grande diversidade de animais, também há uma grande variedade de plantas.
Começamos por representar aquelas que nos são mais familiares como:
Alecrim (Alexandra)
Arbustos (Afonso Cambão)
Pinheiro (Sérgio)
Árvores de fruta (Afonso)






Também tivemos tempo para actividades nas áreas com os colegas


A Nossa festa de carnaval:

Registamos o que gostamos mais de fazer:




domingo, 7 de fevereiro de 2010

semana de 1 a 5 de Fevereiro








Projecto dos planetas
















Actividade com as barras de cuisenaire

O Carnaval esta quase a bater à porta e a motivação para as mascaras chegou à sala.
Ficou gira, não ficou?