Papel Principal

" Amar é ter um pássaro pousado no dedo.

Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento ele pode voar."

Rubem Alves

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

Nenhum de nós é tão bom quanto todos de nós juntos

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Semana de 11a 15 de Janeiro

Iniciamos a semana com a partilha habitual.
O Rodrigo quis partilhar os momentos que viveu na neve com o Pai.


Partilha do livro que vai a casa.
Sérgio: –“ Gostei muito da história do “Duarte faz tudo ao contrário” foi a minha mãe que me leu, primeiro, ela não tinha tempo, mas depois leu. A parte mais engraçada foi quando o Duarte disse que quando tinha fome bebia e quando tinha sede comia. Foi mesmo engraçado.”
Matilde: -“ O titulo do livro que levei foi Ursinho polar” A minha mãe é que me leu o livro. A minha parte preferida foi quando a mãe encontrou o ursinho e pegou nele ao colo.”
Maria: -“ O título do livro que levei foi:” Não faças isso Rita Salpico” Eu gostei muito da história porque a Rita só queria fazer disparates. Pintava as paredes e a mãe dizia: - “Não faças isso Rita salpico”
Depois ela disse à mãe para ir embora e a mãe foi. A Rita fez tantos disparates que ficou mal disposta, mas a mãe tratou dela e ela ficou boa. Esta história foi muito engraçada.”
Alexandre:” O título é “ O sapo e o estranho” foi a mãe que leu o livro, porque ela sabe ler.”
João: -“ O título do livro é: “ Os crocodilos não lavam os dentes”
O João pegou no livro e contou a história toda como se estivesse a ler. “Claro que as imagens ajudaram muito”
Este foi um momento maravilhoso de partilha do livro que vai a casa.



Questão que aguardava resposta no quadro das perguntas:
Porque é que o Planeta Chora?
Concepções das crianças
Marta – “porque as pessoas deitam o lixo para o chão.”
Rodrigo – “o planeta chora porque as chuvas são as lágrimas.”
Alexandra – “eu acho que a história que tu vais contar fala disso.”
Sérgio – “o lixo deita líquido tóxico para o planeta e ele chora.”
Joana – “porque está a chover e as pessoas deitam lixo para o chão.”

Após a história e depois de uma conversa sobre o seu conteúdo a educadora levantou uma questão:
Então o que é poluir?

João – “deitar lixo para o mar e esgotos.
Marta – “lixo e esgotos no mar que vai dar a casa e volta ao mar.”
Alexandre – “é deitar lixo para mar e não nos caixotes.”
Maria - deitar lixo para o mar, depois os peixes morrem.
Matilde - se puserem lixo no chão as pessoas são más.
Alexandra – “essa frase era a minha, ela não podia dizer. Como é que ela leu os meus pensamentos? Eu não tenho aqui palavras” (testa)
Matilde – “foi assim eu pensei e disse sem saber.”
Afonso C. –“ não deitar lixo para chão.”
Durante a tarde a Rafaela apresentou um jogo de associação de imagens com o objectivo de identificar comportamentos amigos do ambiente ou nocivos.
Questão que surgiu no decorrer da actividade
O Rodrigo quando viu a imagem da árvore a ser cortada disse:
-“ Isto faz o planeta chorar, as árvores servem para respirarmos.”
A Educadora pegou na questão e devolveu-a ao grupo.
As árvores fazem-nos respirar?
Maria - "não sei se é assim!"
Sérgio – “ não, é o nariz”
Alexandra – “não é assim, nós comemos coisas saudáveis e torna-se em oxigénio, precisamos do nariz para o ar sair e cheirar.”
Rodrigo – “é falso o que a Alexandra disse. A comida vai fazer mais sangue as árvores é que dão oxigénio.”
João – “o ar das árvores é saudável e entra no nosso nariz, nós precisamos de fruta no nosso corpo e se os homens cortam as árvores já não temos mais frutos, porque os frutos saem das árvores

A Estagiária Rafaela apresentou um jogo de associação de imagens, com comportamentos e atitudes amigas do planeta e comportamentos que prejudicam o planeta.





Numa dinâmica que já vem sendo hábito na sala as crianças quiseram desenvolver um projecto, para saber mais.








A assim descobriram através das pesquisas no computador, Internet, nos livros e conversas com pais e outros adultos que há vários tipos de poluição.
É isto que estão a comunicar aos colegas do grupo.

Entusiasmados e preocupados com a descoberta quiseram construir dois planetas para sensibilizar a comunidade local.
Um regista atitudes e comportamentos amigos do ambiente o outro representa alguns comportamentos que contribuem para o planeta ficar doente e, com ele todos nós.







A Rafaela preparou uma experiência para mostrar às crianças que é possivel limpar a água quando ela fica suja e estragada, contudo reforçou a nossa missão de prevenir estas situações.
Alexandra: "Pois é temos que ser os guardiãs do planeta."

Na actividade nas áreas duas crianças que se tinham escrito na área dos fantoches resolveram de forma autónoma recrear a história dos “3 Porquinhos”
Deparei com o duo a desenhar e recortar, mesmo ali no chão, os fantoches que necessitavam para a história.
Após a síntese das actividades (feita sempre por duas crianças, de forma rotativa) realizadas durante o dia o João e o Rodrigo apresentaram ao grupo a história que prepararam.

Teve direito a apresentação e tudo...



Nesta semana também fomos ao Castelo de Santiago da Barra cantar as Janeiras. Estas Janeiras já têm tradição na cidade e são muito bem apresentadas, pela Educadora Raquel Amorim que é tia da nossa colega Alexandra.
As duas fizeram um dueto no palco…um momento de ternura.






A propósito de uma partilha de experiências vividas com a Zeza e as crianças surgiu uma situação que resultou numa resolução de problemas.
Na casa da Zeza eram 6 meninas e só havia 3 camas. Quantas meninas ficavam em cada cama?
Como rapidamente chegaram a solução fomos pedido outras hipóteses de resolução. Foi uma actividade muito rica.

1 comentário:

Juca disse...

Isto é que é raciocinar...a partir das vossas perguntas, procurando vós mesmos as respostas. Assim é que é, parabéns!

Também parece que estamos em "sintonia ambiental" pois também nós, na Sala Fixe, andamos às voltas com o ambiente e hoje estivemos precisamente a descobrir o que é poluir e o que é preservar a natureza.

Continuem o bom trabalho.
Vamo-nos "encontrando" cá e lá.

Bjs, Juca e Sala Fixe